segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

" Ela é perfeita."

enquanto eles quebram o pescoço
                                                     
                                                       me entrego à poesia alheia e à cerveja
          belga.

o que não me falta é pé no meu chão
                                                           para vomitar.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

ponteiro

O que resta é saber, meu bem, o que fiz da minha inocência, ingenuidade e outros eufemismos que usou para burrice.
Ponto. 
Ponto.
Ponto.
Porque eu volto, querendo um brinde ou.
Dois.


Mil (e catorze) homens passam (por mim) com seus compromissos de copo e de cruz, com suas gravatas de forca, com suas camisas de força e seus paletós de bolsos recheados de fome. Decadência (me) pede esmola; e você (me faz) pergunta.


O que foi feito de(prima)vera, quando.


O que resta é saber, meu bem, o que fez da minha inocência, ingenuidade e outros eufemismos que usei para medo.
Ponto.
Ponto.
Ponto.
Porque (dá a) volta, (me) querendo.